Índice Futuro: Análise do Longo Prazo 04/05/15

ÍNDICE FUTURO – GRÁFICO MENSAL (parte 1)
  • O índice futuro permanece dentro de um canal de baixa de longo prazo.
  • Ao mesmo tempo está dentro de um canal de alta minoritário de longo prazo (em tracejado).
  • Para que exista alguma expectativa de alta no longo prazo o mercado necessita de sair desse canal de baixa e quebrar essa sequência de topos e fundos descendentes.
Figura 1 – Índice Futuro (gráfico mensal). Canal de baixa.

Figura 1 – Índice Futuro (gráfico mensal). Canal de baixa.

 

 

ÍNDICE FUTURO – GRÁFICO MENSAL (parte 2)
  • Repare que existe uma faixa de suporte horizontal compreendida entre 47.500 – 43.500 a qual o mercado vem encontrando muita dificuldade para ultrapassar.
  • Essa zona precisa ser perdida a fim de que o mercado continue fazendo movimento descendente dentro do canal de baixa de longo prazo.
Figura 2 – Índice Futuro (gráfico mensal). Importante faixa de suporte horizontal.

Figura 2 – Índice Futuro (gráfico mensal). Importante faixa de suporte horizontal.

 

 

ÍNDICE FUTURO – GRÁFICO MENSAL (parte 3)
  • O mercado atingiu também uma zona de suporte de Fibo dada pelo suporte de cinco oitavos e pelo alvo minoritário do ABCD interno (em verde) na faixa de 47.000.
  • Essa área de Fibo coincide com o suporte horizontal e com a linha inferior do canal de alta minoritário que vimos acima.
  • A junção de todas essas estruturas de suporte pode justificar o movimento de alta que o mercado tem feito nos últimos meses.
  • Repare que o mercado já havia praticamente alcançado o alvo do ABCD principal (em vermelho).
  • Caso prossiga em movimento de baixa o mercado terá os seguintes alvos:
    • 43.500 – 42.500 (alvo do ABCD principal + S1A)
    • 37.000 – 36.000 (alvo de 127,2% do ABCD principal + alvo do ABCD minoritário)
Figura 3 – Índice Futuro (gráfico mensal). Suportes de Fibo.

Figura 3 – Índice Futuro (gráfico mensal). Suportes de Fibo.

 

 

ÍNDICE FUTURO – GRÁFICO MENSAL (parte 4)
  • A atual perna de baixa de longo prazo não completou o movimento harmônico. A quebra dos movimentos harmônicos seria um primeiro alerta para uma possível movimentação de alta de longo prazo.
  • Veja também que com o fechamento do mês de abril a tendência mudou para alta.
  • Ao menos que tenhamos um padrão pegador de stop de duas barras a mudança para tendência de alta no mensal pode ocasionar mudanças significativas no longo prazo.
Figura 4 – Índice Futuro (gráfico mensal). Movimentos harmônicos.

Figura 4 – Índice Futuro (gráfico mensal). Movimentos harmônicos.

 

 

ÍNDICE FUTURO – GRÁFICO SEMANAL (parte 1)
  • Aqui podemos ver com mais detalhes a forma como o mercado comportou-se ao atingir uma LTA minoritária de longo prazo. É a linha inferior do canal de alta minoritário que vimos na Figura 1.
Figura 5 – Índice Futuro (gráfico semanal). LTA minoritária.

Figura 5 – Índice Futuro (gráfico semanal). LTA minoritária.

 

 

ÍNDICE FUTURO – GRÁFICO SEMANAL (parte 2)
  • O mercado encontrou suporte na faixa do alvo minoritário do ABCD em vermelho e iniciou o movimento de alta atual que estamos vendo.
  • Esse ABCD está na perna CD do ABCD minoritário do mensal mostrado na Figura 3.
  • A pergunta que temos para o longo prazo é:
    • Se o mercado está fazendo apenas uma retração dentro desse ABCD em vermelho e ainda irá buscar o alvo de 100%, ou;
    • Se o mercado está dando início a um novo período de alta.
  • Caso prossiga com a baixa teremos alvo em 43.000 – 42.500 (alvo do ABCD + S1A + proximidades do fundo prévio). Essa região coincide com o primeiro possível alvo de baixa do mensal visto na Figura 3.
Figura 6 – Índice Futuro (gráfico semanal). Alvos de Fibo.

Figura 6 – Índice Futuro (gráfico semanal). Alvos de Fibo.

 

 

ÍNDICE FUTURO – GRÁFICO SEMANAL (parte 3)
  • Essa é a figura mais importante da análise do longo prazo.
  • O mercado fez um movimento de alta em forma de ABCD. Repare que não foi apenas um simples ABCD, mas foi também uma concordância na área de sobrecompra e isso é extremamente significativo. Sendo assim o mercado encontra-se em uma área de resistência muito forte, que é a zona de 56.500.
  • A concordância em área de sobrecompra gerou dois padrões direcionais simultaneamente: o padrão esticado e o padrão kibby. Ambos possuem alvo na banda zero do oscilador (alvos dinâmicos). Aliado a isso o mercado formou um padrão enforcado que é um padrão de reversão de velas japonesas.
  • O mercado passou um pouco acima da área de 56.500 e isso pode ser explicado ao observarmos os ABCDs do gráfico diário na análise do médio prazo.
  • Por outro lado o mercado encontra-se acima de PA e isso sugere mudança de sentimento de longo prazo para alta. Mas perceba que após o fechamento do mês de abril temos um novo PQ e ele ainda não foi testado. Desse modo o mercado pode vir fazer o teste de PQ a e também retestar PA, sendo agora pelo lado oposto, fazendo assim um movimento de baixa.
  • Uma permanência do mercado acima da área de 56.500 indicaria que o mercado vai continuar o movimento de alta.
Figura 7 – Índice Futuro (gráfico semanal). Retração ABCD e sobrecompra.

Figura 7 – Índice Futuro (gráfico semanal). Retração ABCD e sobrecompra.

 

 

ÍNDICE FUTURO – CONCLUSÃO DO LONGO PRAZO
  • Apenas para relembrar, em nossa última análise do longo prazo haviamos dito que o alvo de longo a médio prazo do índice futuro seria a faixa de 52.350 – 53.550. Essa faixa foi atingida precisamente em fevereiro, sendo que conforme esperado o mercado respeitou essa zona pois fez movimento importante de baixa após alcançá-la. Essa zona contém o PA e nesse momento o mercado encontra-se acima dele, o que pode significar mudança de sentimento para o longo prazo.
  • O que precisamos responder no momento é se o mercado vai continuar o ABCD mostrado na Figura 6 ou se o atual movimento de alta é um início de um novo período de alta do longo prazo.
  • Embora o mercado esteja acima do PA o atual movimento de alta pode ser apenas uma retração dentro do ABCD mostrado na Figura 6, uma vez que no momento o mercado encontra-se na região da retração de cinco oitavos e abaixo do ponto C.
  • Espera-se que aconteça pelo menos algum movimento de baixa após o mercado ter atingido a região de 56.500 visto que é uma área de forte resistência e com ocorrência de padrões direcionais no semanal.
  • O fato do índice futuro manter-se acima de 56.500 não seria normal para um mercado com intenções de baixa, especialmente nesse caso onde há forte resistência e padrões direcionais. Portanto caso o mercado mantenha-se acima dessa faixa seria indicativo de que provavelmente haverá continuidade do movimento de alta.

 

 

Para saber se essa análise permanece válida na data atual consulte o nosso Quadro de Análises Válidas.

Consulte informações sobre o Índice Futuro e outros contratos futuros na página oficial da BM&FBovespa.

 

Compartilhe essa postagem:

Facebooktwitterredditlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − dois =