Dólar Futuro: Análise do Longo Prazo 10/05/16

DÓLAR FUTURO – GRÁFICO MENSAL (parte 1)
  • Conforme falamos na última análise do longo prazo, o dólar futuro fez um impulso acima da três por três que é adequado para a formação de padrões direcionais. No presente momento o mercado já fez dois fechamentos abaixo da três por três e caminha para o terceiro.
  • Caso o mercado venha a alançar a região que 3.332,00, que é o primeiro suporte de três oitavos, irá ocorrer a formação do padrão de pão com manteiga de alta.
  • Caso essa área de 3.332,00 não seja atingida e o mercado volte a subir, fica aberta a possibilidade do mercado formar um outro padrão direcional, a dupla repenetração de baixa.
  • É necessário continuar monitorando o comportamento do mercado em relação a isso pois pode ocasionar implicações significativas.
Figura 1 – Dólar Futuro (gráfico mensal). Possibilidade de padrões direcionais.

Figura 1 – Dólar Futuro (gráfico mensal). Possibilidade de padrões direcionais.

 

 

DÓLAR FUTURO – GRÁFICO MENSAL (parte 2)
  • Aqui podemos ver que essa região de 3.332,00 é também a primeira área de suporte K do mensal, sendo portanto um importante suporte.
Figura 2 – Dólar Futuro (gráfico mensal). Áreas de importante suporte.

Figura 2 – Dólar Futuro (gráfico mensal). Áreas de importante suporte.

 

 

DÓLAR FUTURO – GRÁFICO MENSAL (parte 3)
  • Um fator complicador para que o dólar futuro complete a formação do pão com manteiga de alta é o fato do mercado estar na sobrevenda do mensal. De qualquer forma, se o mercado sentir a banda de sobrevenda como suporte e a partir dai subir significativamente, abre-se espaço para a formação de um outro padrão direicional que é a dupla repenetração, conforme já mencionado na Figura 1.
Figura 3 – Dólar Futuro (gráfico mensal). Sobrevenda.

Figura 3 – Dólar Futuro (gráfico mensal). Sobrevenda.

 

 

DÓLAR FUTURO – GRÁFICO SEMANAL (parte 1)
  • O mercado atingiu o alvo que havíamos comentado na última análise em 3.635,00, uma região que compreendia o alvo principal do ABCD mostrado abaixo.
  • Perceba que o mercado passou do alvo principal do ABCD e agora está na região do alvo de 1.272.
  • O movimento de ação dos preços sugere que o mercado deve continuar o movimento de baixa até o alvo estendido do ABCD que fica em 3.332,00. Perceba que essa região de 3.332,00 é exatamente o suporte de três oitavos que é necessário ser atingido para que o ocorra formação do pão com manteiga de alta no mensal, além de ser também uma região de suporte K (e portanto uma concordância) e um topo prévio (retângulo vermelho). Sendo assim essa área tende a ser um suporte muito significativo caso venha a ser atingida. Podemos ver nisso uma formidável mecânica de mercado devido a sua relação com o gráfico mensal, visto que uma região de forte suporte do semanal é precisamente a região que precisa ser atingida para que o mercado inicie um movimento de alta através de um padrão direcional.
  • Logo abaixo dessa zona fica S1Q em 3.225,00 que também pode ser atingido pelo mercado.
Figura 4 – Dólar Futuro (gráfico semanal). Região de importante suporte.

Figura 4 – Dólar Futuro (gráfico semanal). Região de importante suporte.

 

 

DÓLAR FUTURO – GRÁFICO SEMANAL (parte 2)
  • Vamos ressaltar aqui também o movimento de ação dos preços em relação a PQ e PA.
  • Perceba que PQ acabou de ser praticamente testado e está havendo a formação de uma sobra superior significativa na barra do semanal. A barra atual ainda não está fechada e obviamente pode até mesmo fechar com um candle branco, mas se o movimento atual de baixa continuar essa sombra tende a permanecer, fazendo uma rejeição de PQ, o que é um sinal baixista.
  • Também podemos ver que o mercado perdeu PA e agora ele está sendo retestado pelo lado oposto, sendo o movimento de ação dos preçosrejeitou PA por algumas vezes, e agora também caso essa sombra superior seja confirmada na barra do semanal.
Figura 5 – Dólar Futuro (gráfico semanal). PQ e PA.

Figura 5 – Dólar Futuro (gráfico semanal). PQ e PA.

 

 

DÓLAR FUTURO – GRÁFICO SEMANAL (parte 3)
  • O mercado também fez um padrão de rompimento de volatilidade baixista, fato que sugere a continuação da baixa por um prazo maior.
  • O rompimento de volatilidade normalmente é um padrão mais raro de acontecer, porém perceba que ocorreu não apenas no longo prazo do dólar futuro, mas também no longo prazo do índice futuro e no longo prazo do milho futuro. Isso pode ser um indicativo de fortes movimentações futuras nos mercados e precisamos estar atentos a isso.
Figura 6 – Dólar Futuro (gráfico semanal). Rompimento de volatilidade baixista.

Figura 6 – Dólar Futuro (gráfico semanal). Rompimento de volatilidade baixista.

 

 

DÓLAR FUTURO – CONCLUSÃO DO LONGO PRAZO
  • O dólar futuro atingiu o alvo que havíamos comentado na última análise do longo prazo em 3.635,00. Permaneceu em movimento de baixa e tudo indica que deve continuar esse movimento pelo menos até a região de 3.350,00 – 3.225,00. Essa extensa área tende a ser o próximo alvo do longo prazo.
  • Precisamos monitorar a possibilidade de formação de padrões direcionais no gráfico mensal e para isso a região de 3.332,00 precisa ser observada. Se atingida nas próximas barras mensais pode levar a formação de um padrão de alta. Caso o mercado suba sem antes atingir essa região, um outro padrão direcional pode acabar sendo formado, no caso um padrão de baixa.

 

 

VÍDEO ANÁLISE

 

 

Para saber se essa análise permanece válida na data atual consulte o nosso Quadro de Análises Válidas.

Consulte informações sobre o Dólar Futuro e outros contratos futuros na página oficial da BM&FBovespa.

 

Compartilhe essa postagem:

Facebooktwittergoogle_plusredditlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 14 =